03 janeiro 2009

Veloz o tempo


Na fragrância das minhas mãos
voa campestre… o teu cheiro!
veloz no tempo que se aquieta
escondido…
faz temer a descoberta
e o perfume do prazer.
Num cair de tarde,
onde odores de mato silvestre
fazem dos teus rurais lugares…
a fragrância nas minhas mãos.
E assim…
vai ficando memória
de senti-lo campestre…o teu cheiro,
que me confunde
invadindo a minha pele!

5 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Amiga, linda poesia... Gostei!... Um bom Domingo... Um abraço de carinho,
Fernandinha

Maria disse...

Quando o cheiro nos invade a pele...

Beijo

mariam disse...

L.Olhar,

gostei tanto deste poema!
flor-da-pele__ sensibilidade d'alma

e, também gosto do cheiro campesino... :)

renovo os votos de um bom ANO!

um abraço e o meu sorriso :)
mariam

O Profeta disse...

Sublime poema...


Um tecto feito de estrelas
A Lua brinca com fios de luz
Um cometa passou rasante
Um coração o outro seduz


Bom fim de semana


Mágico beijo

maré disse...

das memórias
inquietas
.
.
.
urgentes
a gritar
à flor da pele
.

um beijo