02 maio 2009

a mesma parte


Escarlate o gozo
Púrpura a sedução
E esse mar fogoso a minha sombra
Que da cor violeta me adormece.
Destino-me lua seduzindo o sol
É assim que amo, assim te pertenço
Despida, insolente, tua!
Sou a outra parte do estio
Aquele que queima, inflama
E em labareda te consome
E tu, a parte etérea do universo
Aquela que cega, aturde,
E vertiginosamente me faz perdida!



(imagem: Chagal)

14 comentários:

Paulo - Intemporal disse...

querida Ausenda

venho agradecer.TE o carinho e retribuir.TE o gesto com que me acrescentas.

a amizade é o que sinto por ti.

no tempo sem tempo, sempre.

feliz dia da Mãe.

um beijo meu.

Nilson Barcelli disse...

Fabuloso poema querida amiga.
Está muitíssimo bem escrito. Não só pelas imagens poéticas como na sonoridade. Parabéns.
Boa semana, beijos.

A.S. disse...

Ausenda,

Um belo poema! Duas partes amantes e cumplices...


Doces beijos!

Tatiana disse...

Um todo no amor!

Muito lindo!

Um beijo com o meu carinho

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olha,
a palavra parada;
Luta,
por letras ocultas;
Ouça,
os versos internos
Solta,
a nudez poética;
Escreva-se,
poesia
ao menos um dia,
Seja.

(Maísa)

Desejo uma linda semana com muito amor, esperança e carinho.
Abraços.
Eduardo Poisl

poetaeusou . . . disse...

*
mar, de fogoso sal
em palavras belas
telas
de romeu e julieta
nos meus tons de violeta
coloridos por chagal
,
Um mar de jinos, deixo,
,
*

VANUZA PANTALEÃO disse...

Boa tarde, Ausenda!
Ausenda,desculpe-me a invasão, mas seu nome atraiu-me, pois conheci uma senhora, na infância, com o mesmo.Era uma pessoa boa, risonha e marcou-me.
Vejo e leio no seu espaço que se há correlação entre nomes, esse fenômeno aqui sucede pela inteligência e sensibilidade aqui encontrada.
Gostei de verdade!!!Bjs

Vieira Calado disse...

Muito bem!

Gostei muito.

Beijinhos daqui.

Anónimo disse...

Primeiro a tua mão sobre o meu seio
Depois o pé- o meu- sobre o teu pé
Logo o roçar urgente do joelho
e o ventre mais á frente na maré.


»Rosa Lobato Faria»

Marta Vasil disse...

Lindo poema Ausenda! Serão fragmentos de nós que se fundem, afinal, num só: EU?

beijinho

MV

Nuno G. disse...

lindo poema... vou repetir a visita...

(www.minha-gaveta.blogspot.com)

Eduardo Aleixo disse...

Perfeito o beijo que a estrela dá às algas, que o sol dá à terra molhada, que o mar bruto, mas bom, dá no teu corpo de areia aberta onde já nem olhas os peixes nem as conchas, extasiada ficaste.

Beijo com vento suão

O Profeta disse...

Sublime...!



Doce beijo

Aníbal Raposo disse...

Cara Ausenda,

Que lindo poema.Um hino ao amor.Bem hajas por quem és e pelas palavras que escreves.