15 janeiro 2011

voo adentro

(Yolanda Botelho)
Anseio o instante
O assombro do encanto
Que me renasce constante
Em cada fiar de pranto

Porque quero tanto
Em turbilhão e desnorte
Não espero nem o entretanto
Que do amor, já tenho a sorte

Se amo…vou
Sem medida
Fosse pássaro que voou
Sem lágrimas de partida

7 comentários:

Multiolhares disse...

assim se deve fazer com o amor o seguir desalmadamente
beijinhos

Natalia Nuno disse...

Nos braços do tempo te deixas sonhar.
Lindo amiga.

Te deixo um beijinho,te desejo uma boa semana.

António Garrochinho disse...

o amor abre todos os caminhos os de fora de nós e os de dentro.
quando se juntam nada pode deter a torrente que reinvidica todas as margens para ser finalmente livre.

A.S. disse...

Que o teu voo seja pleno de emoções e de fascinio!...

Beijos!
AL

gabriela r martins disse...

chego sem saber se parto
mas


deixo



.
um beijo
( inscrito num tempo que não tenho )

Eduardo Aleixo disse...

poema sábio de amor

Anónimo disse...

É uma vergonha...
Em Évora existe um call-center que explora os jovens alentejanos, com contratos precários... há muitos anos... usando-se o sistema de rescindir com uma empresa e fazer contrato com outra.
Trabalhamos com todos os sistemas informáticos do grupo caixa seguros, Império Bonança, Fidelidade Mundial e Multicare, mas não temos o direito a receber um preço mais justo pelo nosso trabalho, tal como os funcionários das Companhias?
Quando contactamos os clientes das Companhias é como se fossemos funcionários destas Companhias, mas para recebermos ordenado já não nos identificamos como tal.
Limitamo-nos a receber entre € 400,00 a € 500,00 e somos tratados como máquinas, pior ainda… pois quando os computadores não funcionam, não existe remédio… quando estamos a precisar de ir à casa de banho, já temos tempos estipulados e a correr depressa.
O Call-center já funciona há muitos anos, muitas empresas passaram muitos “escravos” ficaram…
Agora que mudaram a gestão do Call Center, para uma empresa de escravatura dos tempos modernos, denominada Redware, do grupo Reditus, decidiram inaugurar… vejam lá… inaugurar o Call Center, que devia-se chamar Senzala.
Este grande acontecimento vai acontecer amanhã, dia 25 de Março, e vai ter direito à visita do Secretário de estado para a inovação Carlos Zorrinho, do Presidente da Câmara de Évora José Ernesto Ildefonso Leão de Oliveira, do Presidente da Caixa Geral de Depósitos Fernando Faria de Oliveira, do Presidente das Companhias de Seguros do Grupo Caixa Seguros Jorge Magalhães Correia e as suas comitivas.
E pergunto-me vão inaugurar o quê, mais uma fase da exploração de pessoas, que têm que se sujeitar às condições destes empregos porque não existe mais nada?
Mas não somos pessoas?
Não devíamos ter direito a usufruir de condições mais justas pelo nosso trabalho, para termos direito a viver?
Até quando é que o nosso Pai, a nossa Mãe, o nosso Tio, a nossa Tia,… poderão ajudar-nos?
Mas depois é ver a publicidade destas empresas, em que parecem todos bons rapazes e muito solidários, eis um exemplo http://www.gentecomideias.com.pt/gentecomideias/Pages/MensagemdoPresidente.aspx
Sr. Presidente da Câmara, tenha vergonha em pactuar com esta forma de escravatura… ponha a mão na sua consciência, isto se ainda a tiver…