10 junho 2010

sentido único


Nego
a chama apagada
o pássaro sem asa
o cais sem barco
nego
o indivisível
a metamorfose
o ninho sem ovo
o céu sem azul
Nego
A vida ausente
Sem âmago de amor
Nego de tão perto a estrela distante
Cadente
De ser…eternamente amante!
(imagem: egon schiele)

15 comentários:

tossan® disse...

Poesia pura! A imagem é fantástica. beso

Sonhadora disse...

Simplesmente belo.
Adoro a sua poesia.

beijinhos
Sonhadora

gabriela r martins disse...

passo ,páro ,leio.TE

e deixo




.
um beijo

Virgínia do Carmo disse...

Um momento intenso e honesto, como um poema deve ser, sempre...

Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
nego
o que contraria,
a tua negação !
,
conchinhas,
,
*

mariam disse...

mas nunca negues ser poeta! Ausenda é LINDO este poema :)
um sorriso e um beijo :)
mariam

Eduardo Aleixo disse...

E negas bem.
E dizes sim à Vida.
Que mais te posso dizer
Minha doce amiga?

Céci disse...

Eu nego, um "tempo agreste" sem os teus poemas.

Bjinhos e Xi

Céci

Multiolhares disse...

Bem...adorei este teu "nego",esta lindo demais
beijinhos

Aníbal Raposo disse...

Ausenda,

Está lindo. Sem mais palavras...

Vai ao meu blog se puderes. Tenho uma música para ouvires.

Beijos

duarte disse...

ele há cum cada cousa... :)
...cadente de ser eternamente amante.
esse teu sentido é único, sim.
outros... a sombra é o local mais indicado para permanecer.
abraço poetisa.

A.S. disse...

Ausenda...

Muitas vezes cerramos as pálpebras para que os olhos não violem as palavras!

Beijos
AL

Carla disse...

e quando no regresso somos banhados com esta poesia sublime resta-nos o prazer de ler
beijo em desalinho

© Piedade Araújo Sol disse...

uma negação nem sempre negada!

sempre a bela poesia por aqui, com o teu toque pessoal.

bom fim de semana.

beij

AC disse...

Negação que é afirmação de vida, num excelente momento de poesia.