07 fevereiro 2010

chamando o vento



Ama-me, sem que o meu silêncio te perturbe
Ouve-me no rastear do vento de palavras quentes
quando a minha voz te chama
Dá-me, jamais o que pedirei
enquanto for longe o render
da tua língua de fogo,
que me incendeia inteira
e donde teimosamente renasço...
e renasço!
Caminha sem o meu chão...
nas cinzas onde lentas,
morrem névoas amarguras
Colhe-me, em gomos de amor
antes que se decline
a firmeza do meu olhar!

16 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida Ausenda
Belo poema entrei nele e naveguei nas suas belas palavras.

Beijinhos
Sonhadora

Maria disse...

'colhe-me, em gomos de amor'
... é muito bonito, Ausenda!
E que o vento responda ao teu chamamento...

Um beijo

tossan disse...

Você fala do amor como Albert fala da relatividade sem modéstias e sem mistérios. Você é uma belíssima poetisa! Beijo

poetaeusou . . . disse...

*
gostei, muito,
,
no vento,
nasce e renasce,
a nossa voz !
,
conchinhas, deixo,
,
(na utopia das palavras
de quando em vez os meus
comentários saem na forma
do ultimo que escrevi . . .
não encontro explicação
peço-te desculpa
pela modo inestético,
visualmente falando ! )
,
*

Paola disse...

Querida Ausenda, deixo-te um beijinho no encanto das tuas palavras... na sensualidade das mãos do teu sentir.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema, sensual, muito muito bom.

a imagem tambem muito bonita e a condizer.

beij

A.S. disse...

Ausenda...

O vento recolhe a tua voz
na lingua de fogo
que te incendeia.
renasces
em gomos de amor...


Belo o teu poema Ausenda!

Beijos
AL

Nilson Barcelli disse...

"Colhe-me, em gomos de amor antes que se decline a firmeza do meu olhar!"
Todo o poema é muito bonito, querida amiga, mas destaco esta parte como exemplo da criatividade poética que possuis.
Beijos.

Virgínia do Carmo disse...

Muito intenso... e bonito...

Beijinhos!

Chris disse...

Pura poesia se respira por aqui, gostei desta chamada - chamando o vento.
Um beijo
Chris

Ana Martins disse...

Uma sublimação da poesia, adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

Breizh da Viken disse...

Olá Ausenda,

Chama-se o vendo à medida que o amor vem aparecendo!
Colhe-se em gomos... o amor

Fantástico o teu poema. Parabéns


beijo grande

p.s. o prefácio está espectacular! Grande escritora! :-D

maré disse...

urgente
mente
colhe da minha pele
a chama
que teimosa
desnorteia.

guarda-me do vento
poupa-me da neve
antes que um inverno
ou uma tempestade mais agreste
nos arraste.


.
um beijo ausenda

A.S. disse...

Vim reler-te, rever-te... e deixar um beijo!

AL

Nilson Barcelli disse...

"Dá-me, jamais o que pedirei"
No amor, não é preciso pedir para receber.
Belíssimo poema querida amiga Ausenda. Gostei imenso das tuas palavras poéticas.
Boa semana, um beijo.

São disse...

O amor sai muito bem tratado deste teu poema tão lindo.

Noite serena para ti.