20 junho 2009

Um tempo


Anseio-te colado a mim
no escorrer da seiva
das tuas melosas pétalas
navegantes

Querer-te no corpo
e na agitação do cansaço
do tempo tardio
da hora ingrata

Viver a ventura
do nosso abraço
descalço, caminhando no beijo

anseio beber-te...

Sonho no arranque da tua alma
colocada dentro de mim

Quero pintar-te
no meu regaço e ...ter-te!

10 comentários:

Paula Raposo disse...

Lindíssimo! Gostei de te ler. Beijos.

A.S. disse...

Ausenda...

Como sempre os teus poemas são intensos e profundos!


Beijos...

Anónimo disse...

Hoje roubei todas as rosas dos jardins
e cheguei ao pé de ti de mãos vazias.

Um beijo, carinho

Mário Margaride disse...

Belo, intenso e sensual poema...

Gostei muito!

Beijinhos e uma boa semana.

Mário

tossan disse...

Belíssima! Ler a tua poesia me faz bem, roubei esta obra de arte...Beijo

pin gente disse...

a minha sede é imensa...

beijo
luísa

Maria P. disse...

sede de um tempo...
Muito bonito.

Beijinho*

Céci disse...

OLá,

Embora n comente muito neste teu blogue, lei-o, so que nunca sei o que dizer, rs mas hj não resisto e lá vai...

Olha este tirou-me completamente o fôlego.

Tu és mesmo uma poeta sem duvida

E sente-se a força, a paixão que poes no que escreves.

Bjinhos

Céci

Mário Margaride disse...

Belo e sensual poema...

Adorei!

Beijinhos e um excelente fim de semana.

Mário

A.S. disse...

Ausenda...

Venho deixar-te a ternura de um beijo e os votos de um bom fim de semana!