13 junho 2009

ler-te...


E se lesse?

Se o teu olhar

se abrisse

como mar remoto

abrindo alas

em tempos épicos?

Eu haveria de ler

a poesia

que erradias...!
(imagem: rodrigo matos silva)

8 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

E lerias...
Poesias de
maresias...
Canções
De amor
Lerias
Poesias
Com elas
O que farias?

Anónimo disse...

E lerias....
Toma de novo o leme desta barca
Como num mapa, lê na minha palma
Encontrarás aí a tua marca
a pele, a voz, o cheiro, a alma.

(R.L.F.)

Um beijo grande

A.S. disse...

Ausenda,
Lerias as palavras com o prazer que meus olhos te olham!


Beijos...

maré disse...

às vezes cegamos
perdemos o lugar dos remos
que orientam os olhos.

____
beijo, ausenda

Avassaladora disse...

ausenda, da Utopia da palavra...
Que nosso querido Tosson me guiou...

Seu blog é admiravelmente belo... Recheado com poemas belos e sensíves...

Obrigada por seu carinho... por suas palavras!

Um carinho faz um bem danado...


Beijos!

Nilson Barcelli disse...

Ler os outros é essencial.
Perceber os seus pontos de vista, os seus interesses, etc. Vestirmos a pele do outro, ao fim e ao cabo, é um exercício que devíamos fazer mais frequentemente.
Belas palavras, as tuas. Obrigam a uma reflexão sobre nós próprios e as nossas atitudes para com os outros.
Claro que existem outras leituras.
Mas, se as fizesse, não saía mais daqui... eheheh...
Mas isso demonstra a riqueza deste teu (aparente) pequeno poema.

Beijo.

Paola disse...

Ai, esse conjuntivo tão hipotético______ patético!! Gosto tanto de te ler!___________ Presente. Real e certo.

Beijo terno, amiga.

pin gente disse...

tu lês... estou segura!

beijo