11 outubro 2008

riscos invisíveis


Riscos na areia
Ao acaso
Riscos de dentro
Linhas fúteis e inúteis
Recados de areia e espuma
Onde as gaivotas bicam
As sílabas ondulantes
Riscos…
Que o mar apaga
E leva…sem ninguém ler
Só as gaivotas e o mar…as sabem!


3 comentários:

Lena disse...

O mar e as gaivotas são cumplices...
pois, pois..e nada dizem..

adorei teu poema

um beijo

Paola disse...

Contornos femininos
num corpo de mulher
cirurgias artísticas
buriladas pelo cinzel
dos artistas.

Riscos delicadamente
aprimorados e delicados
geometricamente delineados
pela mão do fantasista!


Beijinhos

Vieira Calado disse...

Creio ser a 1ª vez que aqui venho.
Gostei do que li e ouvi.

Um abraço desde Lagos.