25 julho 2009

nao sei se te disse...


Não sei se te disse
da dilecção…
da fortaleza do teu ombro
quando me desmaia o medo e o soluço

Não sei se te disse
da cumplicidade...
nos revezes em voo rasante
que a vida teima em forjar
e que só no teu afago
sou capaz de suportar

Não sei se te disse
da sagacidade do meu peito
quando te guarda

Não sei se te disse
que um dia…
não me vais encontrar
porque ambígua será a hora de nós

Ainda nada te disse…
porque o meu corpo grita
tudo o que me cala a voz!

(imagem: kim molinero)



13 comentários:

Paula Raposo disse...

Lindíssimo!! Se calhar eu também ainda não disse o que tem de ser dito!! Muitos beijos.

Vieira Calado disse...

"...um dia
não me vais encontrar
porque ambígua será a hora de nós"

é bem bonito

como, de resto, todo o poema.

Brijinhoss

A.S. disse...

Ausenda...

A tua poesia é inconfundivel!
Este poema é belo... muito belo!


Beijos meus...
AL

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A qualquer hora em que chegares,
sentarás comigo à minha mesa.
A qualquer hora em que bateres a minha porta,
o meu coração também se abrirá.
A qualquer hora em que chamares,
eu me apressarei.
A qualquer hora em que vieres,
será o melhor tempo de te receber.
A qualquer hora em que te decidires,
estarei pronto para te seguir.
A qualquer hora em que quiseres beber,
eu irei a fonte.
A qualquer hora em que te alegrares,
eu bendirei ao Senhor.
A qualquer hora em que sorrires,
será mais uma graça que o senhor me concede.
A qualquer hora em que quiseres partir;
eu irei à frente nos caminhos.
A qualquer hora em que caíres,
eu estenderei os braços.
A qualquer hora, em que te cansares,
eu levarei a cruz.
A qualquer hora em que te sentires triste,
eu permanecerei contigo,
A qualquer hora em que te lembrares de mim,
eu acharei a vida mais bela.
A qualquer hora em que partires,
ficarás com a lembrança de uma flor.
A qualquer hora em que voltares,
renovarás todas minhas alegrias.
A qualquer hora que quiseres uma rosa,
eu te darei toda roseira.
Eu te digo tudo isso, porque não posso imaginar
uma amizade que não seja toda,
de todos os instantes e para todo bem.

by: Cid Moreira

Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
Abraços
Eduardo

pin gente disse...

eu sei que te disse que as tuas palavras me tocam.
um beijo, ausenda.

A.S. disse...

Ausenda,

Vim reler-te... e deixar-te um beijo!

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema, querida amiga, com um final soberbo.
Não sei se te disse que escreves bem, que és uma poetisa brilhante. Mas sei que não te disse ainda que adorava ter sido eu a escrever muitos dos teus poemas, nomeadamente este.
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

tão belo.

acho o poema muito bom!

beij

Anónimo disse...

Perante tanta belaza
as minhas palavras, são apenas murmúrios de ternura.
Eu sei que te disse, que tudo emti é belo!

beijnho

Só Eu (Ricardo) disse...

"Ainda nada te disse…
porque o meu corpo grita
tudo o que me cala a voz!"
Perante tão barulhento silencio fica a minha vénia à Poetisa!
Lindo
Beijinho
Ricardo

Fa menor disse...

E tanto que não se diz mas que se espera que se adivinhe...

Lindíssimo!

bjinhos

Paulo disse...

"

não sei se te disse

"

Ausenda

que o teu verbar atinge agora um léxico res.plandecente

.

. um beijo meu .
. um bom fim de semana .

maré disse...

e não disse.

digo agora

que gostei muito.

.

um beijo ausenda